terça-feira, 2 de março de 2010

Meu ouvido não é penico

.
É que tem uma mulher que divide a mesma sala de trabalho que eu e hoje ela resolveu ouvir músicas evangélicas, gospel, de Deus, sei lá como se define isso, em alto e bom som e eu não consigo me concentrar. Gente, vocês não estão entendendo. O volume está muito alto e agora está tocando "entra na minha casa, entra na minha vida...". Só se for na dela, porque a minha já tá cheia.

Ela não se toca. Todo mundo se olhando com uma cara de quem está detestando isso e ela finge que não é com ela. Sabe aquelas velhas solteiras, mãe de filhos adolescentes, doida pra arranjar namorado? É ela. Como não consegue, tenta suprir sua carência com esse tipo de coisa. Minha mãe é assim também. A diferença é que minha mãe é, modéstia à parte, é linda, loura e magra.

Será que ela acha que vai converter algúem aqui desse jeito, forçando a ouvir essas musiquinas chatas? Eu adoro Roupa Nova e Roberto Carlos e não forço ninguém a ouvir, muito menos no ambiente de trabalho.

Perguntei a um amigo meu, via msn, o que fazer com essa criatura e ele me sugeriu que a matasse. Assim ela iria mais rápido pro céu se encontrar com Deus. Até que não seria uma má idéia.

Postado por Débora

7 comentários:

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

Ninguém merece mesmo, falta semancol para algumas pessoas, ninguém merece, apresenta o foninho pra ela!

Abraços!

Daia.BSilva disse...

Quem sabe... vc possa sugerir DELICADAMENTE (haha) que ela utilize fones de ouvido... QUEM SABE funciona né... hnf. Odeio gente que faz isso. Inclusive odeeeio pegar ônibus no fim do dia, cansada, e ainda dar o azar de ter um mano da quebrada com seu celularzinho roubado ligado e tocando um pancadão (sem os fones) pra tooodo mundo ouvir... aaah, que ódio.

(6) capreta disse...

Amanha apareça com um fone de ouvido de presente! HAHAHAHA beijos!

Dama de Cinzas disse...

Tem gente sem noção em todos os lugares, mas eu encontrei tantos evangélicos sem noção pela vida afora, que fiquei com um certo preconceito contra essa classe de pessoas, confesso! Ou seria um conceito formado? Não sei ao certo ainda!

Beijocas

Maris Morgenstern disse...

Acho q concordo com a opinião geral aqui...
passe na banquinha, compre uns fones de ouvido, coloque uma fita bem bonita pra mostrar que é um presente de coração (ou seria de ouvido)
chegue mais cedo q ela e deixe sobre a mesa dela o presente.
rs

Leite disse...

você pode fazer um dueto musical com ela, tem uma música que faria uma sincronia legal, é assim: "ela sai de saia, de bicicletinha, uma mão vai no guidon e a outra tapando a calcinha. dá um arrepio quando ela sai pedalando, mas tem uma mão na frente que tá sempre atrapalhando, acho que ela tem medo do piriquito voar, por isso que ela não para de tampar. eu não aguento mais essa situação, vamos liberar geral, vamos tirar essa mão. bota a saia e vem pra rua com sua bicicletinha, eu quero ver a cor da sua calcinha"

quem sabe ela até não se comove com o novo repertório musical e resolve fazer uma tarde de silencio em homenagem à tal descoberta?

Celamar Maione disse...

É verdade : Fone de ouvido. Será que resolve ?
Ah sim, e uma boa dose de educação da moça não faz mal a ninguém....
bj

Postar um comentário