domingo, 7 de fevereiro de 2010

Falando em milico...

.
Já que o assunto é milico, tenho uma historinha para contar.

Foi em Salvador, ano passado, quando fui passar uns dias na casa da Rê.

Era uma tarde de domingo. Enquanto Rê foi à bienal do livro, coloquei o biquíni e desci até o Porto da Barra. Parecia um formigueiro de tão cheio. Tinha gente de todo jeito, do mundo inteiro e olha que nem era alta temporada. A verdade é que não existe baixa temporada na Bahia.

Pedi um sombreiro, uma cadeira e uma água de coco. Abri meu livro e esqueci o mundo ao meu redor.

De repente, uma criatura de short verde oliva se aproximou.
- Oi, gata!
Olhei pra ele e voltei ao meu livro, que estava muito mais interessante.
- Te observei de longe e me interessei. Dificilmente me interesso assim por uma mulher. Elas é que se interessam por mim.
Continuei com minha leitura. Detesto gente que se acha. Se pelo menos ele pudesse se achar...
- Adoro mulheres de cabelo liso!
Se eu tivesse o cabelo crespo, certamente ele diria que adora mulheres de cabelo crespo.
- Quer uma cerveja?
- Não
- Qual é o seu nome?
- Aline (Eu sempre minto meu nome para certos tipos de desconhecidos)
- Prazer: Sargento Luciano (nem me lembro se esse era o nome dele. Só me lembro do sargento, porque ele fez questão de ser enfático)
Será que ele achou que o fato de ser sargento de alguma coisa iria despertar meu interesse?
- Grandes merdas (não disse isso, apenas pensei)
Dei um sorriso amarelo, tentando ser educada, e voltei à minha leitura.
- Você é daqui?
- Não
- Que livro é esse?
Que diferença faria eu dizer que livro estava lendo? Ele não ia saber mesmo do que se tratava. Não tinha cara de ser alguém adepto à leitura.
- A insustentável Leveza do Ser
- De quem é?
- Milan Kundera
- Hum... interessante!
k k k pra ele.
- Que tipo de música vc curte?
- Tudo, menos pagode, sertanejo, funk e axé
- Então não é tudo, né, gata! (nisso ele tinha razão)
- ...
- Você é muito exigente. Tem que aprender a apreciar certas coisas.
k k k pra ele de novo
- Mas eu também não gosto muito dessas músicas. Só que se rolar eu curto. Questão de respeito, sacou?
- Tudo bem que você pense assim. Eu não gosto e pronto.
- Vai ter um show massa hoje e eu queria te convidar
- ...
- Beto Jamaica, conhece?
- Ouvi falar
Claro que eu sei de quem se trata. A mídia não deixava ninguém esquecer na época que o "tchan" estourou.
- Um brother meu tem uns convites. Eu arrumo um pra você.
- Não, obrigada. Não gosto de Beto Jamaica.
- Eu também não, mas vou lá prestigiar.
- Bom show pra você.
- Nossa... que tatuagem linda!
(Eu tenho umas flores tatuadas no braço)
O idiota veio com a mão, tentando alisar meu braço.
- Não precisa passar a mão.
- Você é muito difícil, gata. Tem mulher aí que daria tudo pra estar comigo, mas eu quero estar com você.
Ohhhh... quão privilegiada eu sou por isso!
- Acho melhor você ir atrás dessa mulher, porque eu não quero mesmo estar com você.

Arrumei minhas coisas, levantei, fui embora e deixei o milico lá, sozinho, com cara de tacho, pra deixar de ser otário.

Pior que quando cheguei em casa, me dei conta de que não havia pago o cara do sombreiro. Será que o miulico pagou?

No caminho até a casa da Rê, um coroa de uns 60 anos (se tinha menos, tava bem acabadinho) se aproximou. Mas essa história eu conto depois. Só vou adiantando que não, não peguei o coroa!

Postado por Gabi

5 comentários:

Tay disse...

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
o "milico" se lascou....adorei!!!
Adoro o porto da barra sempre to por lá.
um bj

Mais um imundo no mundo impuro. disse...

Tem uns cara mala mesmo, nesse sentido eu tento me policia. As vezes sinto muita vontade de papear com alguma garota que não conheço, mas me seguro, pois nem sempre elas estão afim de papo, só papo, tentativa de bom papo.

Abraços!

Érika disse...

Não vejo problema nenhum em bater um papo legal com um cara que não conheço. É assim que pode-se começar um bom relacionamento. Foi assim comigo e meu ex, que hoje é um grande amigo meu. O problema é quando o cara vem todo cheio de marra, se achando a última coca-cola do deserto, como esse milico aí. Claro que tem mulher também que se acha, né? Não acho que tenha sido o caso da Gabi. O cara tirando uma de bonzão só porque é sargento, matou... rs

¤*Daia*¤ disse...

Que susto! Por um momento realmente pensei que vc tinha dado uns pegas no coroa! :p Huahau!

Bom, agora vc entende pq não gosto de milicos?! Uuuui, racinha que se acha!

Bjo

Páginas da minha vida disse...

menina, passei por algo parecido esses dias,mas eu fiquei foi assustada, isso sim! é horrível ser assediada assim, por alguém que não nos interessa.

bjs

Postar um comentário